Os Moinhos de Vento dos processos ágeis

No mundo inteiro, estamos vivendo um momento interessante no cenário Agile, pois cada vez mais temos novas empresas adotando algum processo ágil, um número maior de profissionais estão se dedicando a consultoria especializada sobre assunto, muitos blogs têm surgido para trazer temas relacionados aos processos ágeis, as comunidades estão ficando cada vez maiores e mais participativas.

Porém nossas comunidades na mesma velocidade em que crescem, também sofrem de uma característica típica das relações entre as pessoas: “A divergência de idéias”, não que isso seja algo negativo, pois como disse Nelson Rodrigues: “Toda unanimidade é burra”, então grande parte das divergências sobre Agile têm estimulado significativos avanços na compreensão e adoção das metodologias ágeis em projetos de software no mundo afora.

O maior problema é que fazendo uma simples analogia a história de Dom Quixote, escrito por Miguel de Cervantes, em nossas comunidades é comum ver alguns bons cavaleiros lutando contra “Moinhos de Vento”, ou seja, monstros imaginários que habitam nossos sonhos e devaneios ocupando o lugar de nossos inimigos, ou seja focando em debates que não agregam valor para ninguém.

Claro que semelhante ao universo imaginário que Don Quixote misturava ao seu mundo real, esses pseudo-inimigos são frutos de nossos sonhos e frustrações aliados aos nossos paradigmas que norteiam o que acreditamos ser é certo ou errado no mundo de projetos de software, ou seja, a criação desses Moinhos de Vento não é gratuita, existem algumas causas que estimularam nossas mentes a criar esses inimigos e essas causas, apesar de muitas vezes serem questionáveis, devem ser respeitas por todas as comunidades.

Para ser mais pragmático, o grande fator que me estimulou a escrever esse desabafo, no lugar de uma artigo tradicional, é a existência de “fogo amigo” dentro de nossas comunidades, pois tenho visto constantes ataques entre as diferentes vertentes sobre metodologias ágeis no Brasil e no mundo, alguns exemplos:

– Excessivos debates sobre qual metodologia é melhor do outra,

– Longos debates sobre a morfologia de termos usados em nossa área,

– Críticas aos backgrounds de cursos e certificações relacionados aos processos ágeis

É importante observar que o problema não é a existência das divergências em si, pois como eu falei anteriormente, algumas divergências são saudáveis para a nossa evolução, porém o lado negativo, é o fato que essas divergências estão estimulando algumas segregações, onde na verdade estamos precisando urgentemente de agregações.

Pude confirmar isso, ao conversar com um CIO de uma grande empresa quando ele me falou o seguinte:

“Tenho observado as comunidades sobre métodos ágeis e cheguei a conclusão de que vocês agilistas não sabem onde querem chegar… e te falo mais, fica muito difícil saber por onde começar em agile com tantas diferentes idéias sobre o que é certo ou não…”

Também achei a opnião dele meio forte, argumentei um pouco, tentei minimizar as coisas, gastei bastante saliva e no final acho que ele se convenceu de que essas divergências são normais, mas esse foi apenas um caso, creio que devam existir muitas pessoas que compartilham o mesmo pensamento, ou seja possuem uma visão equivocada de nossa comunidade em função de nossas próprias ações.

Por isso, termino esse breve texto, clamando pelo respeito a todas as idéias, iniciativas e principalmente para que todos nós, tentarmos trabalhar na parte mais difícil desse processo de construção, que é usar nossas diferentes idéias, de maneira convergente para a ajudar a disseminar e estimular a adoção das metodologias ágeis nos universos onde estamos inseridos.

Sobre o autor:

Manoel Pimentel, CSP

Manoel Pimentel, CSP

É Engenheiro de Software, com mais de 15 anos na área de TI, atualmente trabalha com projetos Java pela Rhealeza(SP) e como Coach em metodologias pela Fratech Tecnologia(SP). É Diretor Editorial da Revista Visão Ágil, Possui as certificações CSM e CSP da Scrum Alliance e foi um dos pioneiros na utilização e divulgação de métodos ágeis no Brasil.
Contato: manoel@visaoagil.com

2 thoughts on “Os Moinhos de Vento dos processos ágeis

  1. Pingback: Crise de identidade em Agile - ou será novamente o Luddismo x Industrialismo? « Blog Visão Ágil

  2. Olá Manoel!
    Seu “desabafo” é realmente válido, pois dá voz a opinião de outras pessoas que pensam de maneira similar. No final das contas, ser meio Xiita, crente, fanático é condição humana e não é exclusividade de agilistas. Mas como também é condição humana evoluir, espero que muitos possam superar essas condições, pois realmente seria mais benéfico para a comunidade como um todo.
    Abs. Jorge

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s