Coaching para a Metalhoria

Você é bom em matemática? Então por favor me ajude a fazer esse cálculo: 1+2+1+3+1+2 = ? Conseguiu? Se sim, parabéns você está bom de raciocínio lógico, logo você está usando bem seu processo de cognição. Mas será que somente é possível resolver essa questão por meio da cognição?

Resumidamente, cognição é o processo mental de “ligação” entre os neurônios e, por meio desse mecanismo é que acontece o pensamento. Existe um aspecto interessante nesse processo de cognição, pois o cérebro se habitua a praticar a mesma estrutura interligada de neurônios e, com o passar do tempo desenvolve uma excelência em executar aquele caminho já criado de neurônios interligados.

O ser humano se comporta da maneira como pensa, ou seja, os comportamentos são gerados pelo pensamento e, isso é uma verdadeira maravilha da mente humana, pois essa capacidade em criar hábitos de execução de estruturas interligadas de neurônios, é o que permite/estimula uma pessoa ter proficiência em determinados comportamentos.

Contudo, além do bônus, essa característica tras também um ônus para a vida das pessoas. Esse ônus consiste na ideia de que quanto mais um indivíduo repete determinado comportamento que não é saudável, o seu cérebro também vai se tornando um verdadeiro “expert” em praticar aquele comportamento. O mesmo raciocínio se aplica aos sentimentos, pois cada sentimento também é gerado por um pensamento, dessa forma, com base na repetição contínua, o cérebro também se torna um especialista em cultivar determinados sentimentos.  Sendo assim, a forma mais efetiva de mudar um comportamento ou sentimento, é exatamente alterar o pensamento que o origina.

Na pratica essa mudança de pensamento não é algo fácil de fazer, mas para mostrar uma possibilidade de realizar esse desafio, é necessário voltar ao cálculo apresentado no parágrafo inicial desse texto, onde ao invés de seguir o pensamento quase “institivo” de calcular a setença, é possível fazer questionamentos como por exemplo: O que significam esses números? Porque esses números? Por que esse tipo de cálculo? Existem outras maneiras de se chegar ao mesmo resultado? O que será feito com o resultado desse cálculo? Etc.

Uma vez que o problema é abordado dessa forma, está sendo aplicado um processo chamado de metacognição, ou melhor, um metapensamento, que também pode ser melhor explicado como o “pensar sobre o pensar“. Para facilitar essa metacognição, é possível adotar uma metaposição, ou em outras palavras palavras: Uma posição fora da caixa. Com isso, um indivíduo consegue visualizar com mais clareza a forma como um pensamento está estruturado e, assim questionar os critérios que usou para montar aquele pensamento.

É possível afirmar que essa capacidade natural de metacognição é a base para melhoria contínua do comportamento humano, logo a sua prática é extremamente saudável para o sucesso pessoal e profissional de um indivíduo e, consequetemente de uma organização.

Contudo, muitas pessoas negligenciam essa capacidade natural de metacognizar, dessa forma precisam passar por uma experiência de grande dor gerada por um determinado pensamento para que se permitam fazer uma nova estratégia mental (metacognição) sobre o mesmo.

Usei uma brincadeira com as palavras para chamar esse processo de metalhoria, ou seja, metamelhoria, que resumidamente significa usar a metacognição para fazer a melhoria da melhoria em direção a uma meta. Ajudar um indivíduo nesse processo de metalhoria é um dos objetivos primários do Coaching, inclusive fornecendo insumos necessários para que o indivíduo assuma diferentes perspectivas, afim de ampliar sua percepção acerca de seus comportamentos e principalmente dos impactos gerados pelo o mesmo. Uma vez que essa percepção esteja ampliada, o indivíduo pode se responsabilizar por um processo de inspeção e adaptação, començando pela metacognição dos seus próprios pensamentos e por consequência, nos seus próprios compartamentos.

Como foi possível notar, exercitar a metalhoria é uma boa solução para romper com pensamentos não favorecedores para um melhor e mais saudável desempenho rumo a uma meta. Também é importante observar que “mesmo que já se tenha andado bastante, sempre é possível mudar para um caminho melhor”. Ou seja, mesmo que exista excelência em determinado comportamento, sempre é possível aplicar a metalhoria para construir um comportamento melhor. Isso é a base para a real evolução da humanidade .

Mais informações
Artigo introdutório sobre Metacognição:
http://en.wikipedia.org/wiki/Metacognition

Definição sobre metaposição (PLN):
http://www.nlpworld.co.uk/glossary/m/meta-position

Nota
Um agradecimento especial ao meu amigo Serge Rehem pela inspiração de fazer brincadeiras com as palavras.

Sobre o autor:
Manoel Pimentel Medeiros – Coach com 15 anos de experiência na área de TI, onde atuou com Coaching e Trainning para executivos e times em ambientes organizacionais de Consultorias, Bancos e Telecom. É Diretor Editorial da Revista Visão Ágil, já escreveu sobre Agile e Coaching para portais e revistas do Brasil e exterior. Também palestrou em eventos nacionais e internacionais sobre agilidade. Possui as certificações PPC, CAC, CEC da SBC/BCI/Worth Ethic Corporation, CSM e CSP da Scrum Alliance e foi um dos pioneiros na utilização e divulgação de métodos ágeis no Brasil.

6 thoughts on “Coaching para a Metalhoria

  1. Interessante. Já li algo complementar em outro contexto no budismo, onde sugere a prática em tentar eliminar os pensamentos e raciocínios ruins no nosso dia a dia.

  2. Grande Manoel,

    Seu texto é criativo e me faz pensar no papel da linguagem no processo de coaching. Coaching se faz com, pela e por causa da linguagem, metal que fundimos nas cavernas profundas do pensamento. Metalhoria, a meta da metáfora, o meio do caminho, o traçado de linhas nem sempre sólidas, mas implacavelmente tangíveis!

    Parabéns! Como sempre, para o bem!

    Abraço,
    Nelson Bolonhini

  3. Na minha opinião, um dos principais pontos positivos do Scrum é incentivar o processo de melhoria contínua e, nesse caso, o ScrumMaster é essencial. O sistema ScrumHalf utilizado pela minha equipe também contribui para isso, já que facilita a visualização dos pontos levantados no passado.

  4. Pingback: Pratique AgileMMA e faça uma adoção pragmática e sistêmica de Agile « Blog Visão Ágil

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s