Lean Software Development

Introdução

“Lean Thinking” (ou “Mentalidade Enxuta”) é um termo cunhado por James Womack e Daniel Jones para denominar uma filosofia de negócios baseada no Sistema Toyota de Produção que olha com detalhe para as atividades básicas envolvidas no negócio e identifica o que é o desperdício e o que é o valor a partir da ótica dos clientes e usuários.

As práticas envolvem a criação de fluxos contínuos e sistemas puxados baseados na demanda real dos clientes, a análise e melhoria do fluxo de valor das plantas e da cadeia completa, desde as matérias primas até os produtos acabados, e o desenvolvimento de produtos que efetivamente sejam soluções do ponto de vista do cliente. A adoção dessa filosofia tem trazido resultados extraordinários para as empresas que a praticam. Mas prepare-se para as dificuldades na implantação. Poucas empresas têm conseguido replicar totalmente o sucesso e a eficiência operacional da Toyota. Originalmente concebida por Taiichi Ohno e colaboradores, essencialmente como práticas de manufatura, tem sido gradualmente disseminadas em todas as áreas da empresa e também para empresas dos mais diferentes tipos e setores, tornando-se efetivamente uma filosofia e uma cultura empresarial.

Os resultados obtidos geralmente implicam em um aumento da capacidade de oferecer os produtos que os clientes querem, na hora que eles querem, nos preços que eles estão dispostos a pagar, com custos menores, qualidade superior, “lead times” curtos, garantindo assim uma maior rentabilidade ao negócio. Onde Aplicar Desenvolvido originalmente no ambiente de produção da indústria de manufatura, o lean thinking vem sendo aplicado, com grandes resultados em eliminação de desperdícios, nos mais diferentes ambientes das organizações, dentro do conceito de “Lean Enterprise” (administração, desenvolvimento de produto e produção), bem como em empresas de diversos setores, tais como: automobilístico e seus fornecedores, aeronáutico, eletrônico, serviços, construção, mineração, saúde, produção sob encomenda, etc.

Os princípios são listados abaixo:

Elimine o Desperdício (Eliminate Waste)

Os três maiores disperdícios em software development:

  • Funcionalidades Extras
    • É necessário um processo que permita criarmos apenas os 20% de funcionalidades que nos dará 80% de valor
  • Imobilidade
    • Se seus requisitos são imutáveis, você especifica muito cedo. Se possui ciclos de testes-correção, você testa muito tarde
  • Fronteiras bem definidas
    • Fronteiras organizacionais geralmente ampliam em cerca de 25% o custo, criando pontos que diminuem o tempo de resposta e interferem na comunicação

Crie Conhecimento (Create Knowledge )

Planejar é muito importante. Aprender é essencial.

  • Utilize o método científico
    • Ensine equipes a: estabelecer hipóteses, conduzir vários experimentos rápidos, crie uma documentação concisa e implemente a melhor alternativa
  • Padrões existem para serem desafiados e melhorados
    • Encorpore a melhor prática atual que todos seguem, enquanto ativamente encoraja a todos o desafio de mudar os padrões
  • Performance futura é guiada pelo Feedback
    • Uma organização não “advinha” sobre o futuro e cria um plano; ela desenvolve a capacidade de responder rapidamente ao futuro à medida que ele se desponta no horizonte

Produza com qualidade (Build Quality In)

Se rotineiramente você encontra defeitos nos sistemas em um processo de verificação, seu processo é defeituoso

  • Código à prova de erros com Desenvolvimento Orientado a Testes
    • Escreva especificações executáveis ao invés de requisitos
  • Pare de construir código legado
    • Código legado é um código que não possui testes de aceitação ou testes unitários automatizados
  • O Big Bang está obsoleto
    • Use Integração Contínua é auto sincronização

Crie comprometimento (Defer Commitment)

Elimine a idéia de que iniciar o desenvolvimento deve acontecer através de uma especificação completa

  • Quebre dependências
    • A Arquitetura de um sistema deve suportar a adição de qualquer nova funcionalidade a qualquer momento
  • Mantenha opções
    • Pense no código como um experimento – faça-o ser tolerante a mudanças
  • Adie decisões irreversíveis para o último momento
    • Aprenda o máximo possível até tomar uma decisão irreversível

Entregue rápido (Deliver Fast)

Listas e filas servem apenas para atrasar as coisas

  • Entregas Rápidas, Qualidade Total e Baixo Custo são completamente compatíveis
    • Empresas que competem com base na velocidade possuem uma grande vantagem em custo, entregam qualidade superior e são mais alinhadas às necessidades dos clientes
  • Teoria das Filas funciona para o desenvolvimento, não apenas servidores
    • Focar-se em utilização cria um problema de tráfego que reduz a própria utilização. Diminua o tempo entre ciclos com menos funcionalidades e menos itens em processo.
  • Limite o trabalho à sua capacidade
    • Estabeleça uma velocidade confiável e cíclica com o desenvolvimento iterativo. Agressivamente limite o número de listas e filas de espera à sua capacidade de entrega

Respeito as pessoas (Respect People)

Pessoas inteligentes e comprometidas provém a maior vantagem competiva da empresa

  • Equipes despontam através de Orgulho, Comprometimento, Confiança e Aplausos
    • O que nos trasforma em uma equipe? Membros estão mutualmente comprometidos a alcançar um objetivo comum
  • Forneca liderança efetiva
    • Equipes eficientes possuem líderes eficientes que conseguem obter o máximo da equipe
  • Respeito parceiros
    • Alianças em join ventures não devem nunca criar conflito de interesses.

Melhore o sistema (Improve the System)

Produtos brilhantes emergem da combinação única de Oportunidade e Tecnologia

  • Foque-se em Toda a Cadeia de Valor
    • Do conceito ao faturamento
    • Da requisição do cliente à instalação do software
  • Entregue um produto completo
    • Desenvolva um produto completo, não apenas software. Produtos completos são criados por equipes completas
  • Meça
    • Meça capacidade do processo através de ciclos de tempo. Mensure a performance do time através de entrega de valor de negócio. Mensure satisfação do cliente através da promoção de redes.

Sobre o Autor:

Victor Hugo Germano

Victor Hugo Germano

É Bacharel em Ciência da Computação e Especializado em Gestão Estratégica de TI. Atualmente atua como integrante do Escritório de Projetos na empresa Audaces Automação, auxiliando no processo de implantação de metodologias Ágeis em Desenvolvimento de Software. Autor do blog A Maldita Comédia, também participa do grupo de desenvolvedores do Coding Dojo Floripa. Pode ser contatado através do correio eletrônico: victorhg@gmail.com

Versão Original do artigo em:
http://malditacomedia.blogspot.com/2007/10/lean-software-development.html

2 thoughts on “Lean Software Development

  1. Pingback: Agile Weekend 2009: melhor impossível! « Blog do Tá Safo!

  2. Primeiramente gostaria de parabenizá-lo pelo iniciativa de criar um site que visa o desenvolvimento agil.
    Estou trabalhando na elaboração de uma monografia que visa apresentar uma visão geral do Lean Software aplicado a projetos construídos na plataforma Java e estou atras de documentos referente ao assunto. Dicas, sugestões serão bem vindas…

    Obrigado

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s