Empatia – A sua chance para uma boa liderança!

Talvez uma das frases mais clichê das organizações seja: “Não é nada fácil ser um líder!”, não somente pela complexidade comum nas relações humanas, mas principalmente pela dificuldade que é compilar ao seu favor o imenso e variado arsenal de idéias existentes sobre o tema liderança.

Não pretendo com esse breve texto discorrer sobre alguma dessas idéias como solução matadora para uma melhor liderança, pois apenas vou compartilhar uma opinião pessoal de um elemento que ajuda significativamente qualquer tipo de líder, porém, antes de chegar nesse elemento, permita apenas me sustentar em dois singelos pensamentos de Peter Drucker:

  • O primeiro fragmento de pensamento de Drucker é “Baseie sua estratégia em situações, não em fórmulas”, o que me dá bastante conforto com idéias como Liderança Situacional e também com a abordagem da Inspeção e Adaptação (tão importantes nas metodologias ágeis), para mostrar que não existe uma única forma de trabalho adequada para todas as situações (o que reafirma ainda mais o primeiro parágrafo desse texto).

  • Já o segundo fragmento que tomo emprestado de Drucker é: “É preciso conhecer as pessoas para liderá-las”, aí então reside um grande desafio para a maioria das organizações, primeiro por que os pseudolíderes não se esforçam em conhecer seus liderados; mas mesmo quando há intenção de um líder em conhecer as pessoas (seus liderados), é muito comum então haja indivíduos que por algum motivo cultural não se deixam serem conhecidas.

Dado esse cenário, tenho observado em muitas de minhas experiências nesse campo, que uma aliada para ajudar estabelecer o seu modelo ideal de gestão e liderança é a EMPATIA, exatamente na mais pragmática definição de se colocar mentalmente no lugar de outra pessoa ou provocar situações em que as outras pessoas sintam-se convidadas a colocar-se mentalmente em seu lugar.

A empatia têm sido fundamental para criar uma visão compartilhada das metas dentro de um time, principalmente pautando esse compartilhamento na aceitação genuína e compreensão total de onde se pretende chegar e, por que há esse desejo de chegar nesse lugar.

Também podemos usar nossa capacidade de empatia para criar relações de confiança e respeito dentro de uma organização, principalmente para mostrar as potencialidades e limitações de um líder e também dos seus liderados.

Agora uma das situações que pouquíssimas pessoas conseguem compreender, é exercitar o que eu chamo de “empatia do eu passado”, que é se colocar no lugar do seu próprio EU antes de ser tornar líder e lembrar “Que tipo de líder eu gostaria de ter?”. Dessa forma vejo que a grande esmagadora de líderes se esquecem de praticar esse sentimento, o que realmente é muito triste, pois tenho visto muitas pessoas com grande potencial de se tornarem ótimos líderes, jogando fora a primeira oportunidade de exercitar a liderança, pelo simples detalhe de não tentar trabalhar nem mesmo a empatia do eu passado.

Para finalizar esse texto, quero compartilhar que acredito no lado bom das pessoas, portando não creio que uma pessoa se torna um péssimo líder (ou péssimo gerente) por pura maldade, dessa forma, sei que praticar a liderança é algo difícil e está sujeito ao modelo mental do sistema organizacional que se está inserido, por isso, vejo que é muito comum que organizações que possuem uma cultura ruim, muito provavelmente estimularão a existência desses péssimos lideres. Portanto, deixo meu recado final para você líder que está lendo esse texto: Não se esqueça de ser de você mesmo, buscar entender os outros e sempre lembrar daquilo que você pensava quando era um liderado de alguém.

Sobre o autor:

Manoel Pimentel, CSP

Manoel Pimentel Medeiros, É Engenheiro de Software, com 15 anos na área de TI, atualmente trabalha como Coach em Agile, Lean e TOC para empresas do segmento de serviço, financeiro e bancário. É Diretor Editorial da Revista Visão Ágil e Editor Chefe da InfoQ Brasil, Já escreveu sobre agile para importantes portais e revistas do Brasil e exterior e Também palestrou em eventos nacionais e internacionais sobre agilidade. Possui as certificações CSM e CSP da Scrum Alliance e foi um dos pioneiros na utilização e divulgação de métodos ágeis no Brasil.

Contatos: manoel@visaoagil.com

About these ads

8 thoughts on “Empatia – A sua chance para uma boa liderança!

  1. Pingback: links for 2009-08-03 « pabloidz

  2. Ótimo post Manoel, acho o assunto muito importante para a comunidade ágil e muitas das vezes ele é pouco abordado ou simplesmente negligenciado. Como sugestão, você poderia publicar posts de material relacionado a liderança e psicologia que você volta e meia menciona em suas apresentações. Poderia “twittar” também sobre este material : ) Abraços!

  3. Bom texto Manoel, eu tudo na vida eu gosto de usar esta tal empatia do eu passado.

    Porém acho que isto tem que ser usado com cautela. Já vi alguns lideres que passaram no meu caminho fazerem as coisas de forma errada justamente por se focar demais neste pensamento. Todos somos diferentes, e de repente a maioria de sua equipe pensa diferente do que você pensava antes de ser lider.

  4. Manoel,

    O comentário do Rodrigo traz um fato que exige mais ainda do verdadeiro líder.

    Trabalhar a “empatia do eu passado”, na minha opinião, é a primeira maneira do líder iniciar a sua liderança. Porém, após conhecer as pessoas (segundo fragmento de Drucker), ele necessitará aprimorar/melhorar a sua liderança, de acordo com os feedbacks recebidos (diretos e indiretos).

    E é sempre bom lembrar, que não é porque um estilo de liderança funcionou bem em uma equipe, que irá funcionar bem em outra. Precisamos está sempre nos adaptando a situação. (primeiro fragmento de Drucker)

    Muito bom o post, principalmente por levantar um assunto de tão importância e não muito comentado.

    Abraços! E sucesso!

  5. Muito bom! Além do Nonaka, tbm estou curtindo o Drucker! Acabei de ler o essencial dele sobre “O Homem”. Excelente! Da empatia, é aquela coisa… Open Mind, Open Heart… On the Flow… Abraços!

  6. Parabéns pelo post.

    “Que tipo de lider eu gostaria de ter” é uma questão que todos deveriam responder todos os dias pela manha. Tenho certeza que além de parecidas, as respostas criariam uma certa expectativa entre o que uma pessoa espera das outras.

  7. Manoel, interessante o enfoque, porém a questão não seria exatamente esta, e a meu ver é um pouco mais complexa. A questão é “Qual o tipo de líder que eles precisam agora”, pois o grau de desenvolvimento da equipe deve ser o maior norteador para a postura do líder. Se eu entregar aquele que eu reputo o líder ideal para mim, para uma equipe com curva de desenvolvimento primária, o resultado será desastroso, pois esta liderança não suprirá a necessidade das pessoas envolvidas no desafio.
    A empatia é parceira da confiança. Comprometa-se com o seu grupo, responsabilize-se por seu desenvolvimento, que a confiança e a empatia serão apenas um resultado esperado.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s